Tristeza: cantor brasileiro de voz única falece de infarto fulminante

A morte, sem sombra de dúvidas, afeta sempre muitas pessoas. Perder um ente querido pode deixar uma família triste por muitos anos. Isso se repete também quando uma personalidade pública acaba perdendo a vida. Nessa semana, por exemplo, um dos maiores cantores brasileiros acabou falecendo. Ele foi vítima de um ataque do coração. A sua perda foi lamentada em todo o planeta, já que o músico era uma verdadeira referência nacional e internacionalmente.

Luto na música: cantor de ópera brasiliense Francisco Frias morre aos 69 anos

O cantor Francisco Frias era uma das maiores vozes não apenas do Brasil, mas também do mundo. A celebridade tinha 69 anos e foi vítima de uma doença que é comum entre homens, o infarto. Infelizmente, no caso de Francisco, uma voz poderosa brasileira, acabou perdendo a própria vida.

publicidade:

Muitos amigos e fãs deixaram mensagens de pesar sobre a perda do cantor brasileiro. “Frias, você não deixou a ópera morrer em Brasília. Devemos a você o estudo do canto e o mergulho na ópera. Por seu legado, estará sempre vivo entre nós. Sua partida esmagou meu coração calado e cheio de gratidão!”, disse um dos fãs que, certamente, nem tão cedo vai esquecer essa morte.

O músico Lincoln Andrade foi um dos que fez questão de falar sobre o tema. “Dele, eu escutava sempre: “-Você, só precisa me dizer que som você quer! Se é vermelho de bolinhas roxas, se é amarelo de listras azuis. Eu, só preciso fazer o som que você quer! Pronto! Simples assim!” Às vezes, nós nem nos falávamos. Bastava um olhar, daqueles por cima dos óculos e tudo estava dito. As risadas eram intensas, mas silenciosas! Era um sacudir de ombros, só isso bastava! Francisco Frias foi meu professor de canto, meu grande incentivador, meu colega, meu vice diretor”, escrevei ele.

Francisco Frias certamente deixará saudades em muitos familiares, amigos e fãs em todo o mundo.

publicidade:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*