TSE proíbe Jair Bolsonaro de doar R$ 1,7 milhão à Santa Casa de Juiz de Fora

Valor terá que ser repassado ao partido e deve constar na prestação de contas entregue ao tribunal.

Jair Bolsonaro (PSL) foi eleito presidente da República no último domingo (28) ao alcançar 57 milhões de votos e assume o comando do país no dia 1º de janeiro de 2019. Nesta terça-feira (30), Bolsonaro foi bastante elogiado nas redes sociais pela atitude surpreendente que tomou com o dinheiro que sobrou da campanha.

De acordo com a prestação de contas atualizada, a campanha de Bolsonaro arrecadou R$ 4,15 milhões. Desse valor, R$ 3,72 milhões foi arrecadado por meio de financiamento coletivo. No total, a campanha gastou R$ 2,45 milhões. O saldo positivo no caixa é de R$ 1,70 milhão.

publicidade:

Bolsonaro pretendia doar esse valor para a Santa Casa de Juiz de Fora, em Minas Gerais, mas deve ser impedido de fazer a doação direta pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A legislação proíbe esse tipo de repasse.

De acordo com a lei, o valor que sobrou da campanha deve retornar ao partido e o comprovante da transferência de valores deve ser encaminhado ao TSE junto com a prestação de contas da campanha.

De acordo com o R7, a Santa Casa tomou conhecimento da intenção de doação de Bolsonaro, mas não foi comunicada oficialmente. Boato de que o dinheiro já teria sido recebido pela instituição foi desmentido.

Ao postar a intenção da doação nas redes sociais, Jair Bolsonaro foi bastante elogiado pelos seus seguidores. Vitorioso na corrida presidencial, Bolsonaro gastou menos do que muitos de seus concorrentes.

Santa Casa de Juiz de Fora

As Santas Casas realizam um trabalho de atendimento em várias cidades brasileiras.

Bolsonaro vai doar para a Santa Casa de Juiz de Fora por, segundo ele, lá foi o local onde nasceu novamente.

No dia 6 de setembro, enquanto fazia campanha na cidade mineira, Bolsonaro levou uma facada na região do abdômen desferida por Adélio Bispo dos Santos, que está preso e pode ser condenado a 20 anos de cadeia.

Encaminhado à Santa Casa, Bolsonaro foi atendido pelos médicos do local e sobreviveu depois de ter tido uma perfuração de cerca de 15 centímetros e perder dois litros de sangue.

O atendimento ágil e eficiente salvou a vida do então candidato à Presidência da República. No dia seguinte à facada e cirurgia de emergência, Bolsonaro foi transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde ficou internado até o final do mês de setembro.

Nas próximas semanas, Bolsonaro passará por mais uma cirurgia, a terceira, para retirada da bolsa de colostomia que armazena as fezes do presidente eleito.

publicidade:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*