Uma mulher tirou essa foto, mas só depois descobriu que estava a poucos metros de sua morte

Uma mulher que estava em um local bastante perigoso, tirou uma foto da vegetação, mas, mal sabia ela que estava perto de sua morte. Uma história que terminou com um final feliz, mas que serve como exemplo para as pessoas ficarem atentas para o tipo de região que estão visitando, principalmente quando se tratar de vegetações, animais, selvas, florestas e etc. Existem pessoas especificas que ajudam os turistas e os visitantes para se locomover nos devidos lugares, os guias, o mais recomendável é estar acompanhado de um desses profissionais, para garantir uma melhor segurança.

O maior medo na vida das pessoas é o perigo que esteja presente entre as vegetações, nesse tipo de ambiente, segundo pesquisas, um grande número de turistas são mortos todos os anos por animais selvagens que estão escondidos em meio ao seu habitat natural, entre eles estão os hipopótamos, leões, aranhas, cobras, e etc. Alguns animais tem a capacidade de se esconder muito bem entre as paisagens, no qual dificulta ainda mais o passeio dos turistas.

publicidade:

O ocorrido aconteceu no Parque Nacional Andasibe, Madagascar, a cena tropical mostra uma vegetação muito bonita, mal sabia a jovem que o perigo estava eminente, esses tipos de animais, costumam ser mais discretos, para sua presa não fura do bote que estão dispostos a atacar. A jovem se chama-se Julia Sundukova de naturalidade russa, ela tem 37 anos de idade, e é especialista em fotografia.

Julia estava fazendo um passeio no Parque, decidiu se arriscar ainda mais para registrar uma foto em meio a uma paisagem natural, a jovem escapou por pouco, e mais tarde depois do ocorrido relatou todo o medo que passou, “Eu fiquei arrepiada”, disse Julia, afirmando que estava olhando as fotos e nos seus detalhes quando percebeu que tinha um crocodilo camuflado sempre de olho em todos os seus passos.

O animal está entre os mais perigosos no mundo inteiro, um ataque pode ser fatal, ele se hospeda mais nas regiões da África, em vegetação como pântanos, rios e lagos, eles atacam entre 250 a 800 pessoas por ano, e estão no topo dos animais que mais causam mortes. Julia agradece pela sorte que teve, ao ficar tão próximo da morte naquele dia, pois não são piedosos, afinal estão em seu local de sobrevivência, toda e qualquer movimentação pode ser vista como uma ameaça. Um fato trágico aconteceu com um barco em que estavam visitantes, na região de Zambezi, um crocodilo, atacou os turistas e ingeriu partes de seus corpos. Julia afirmou que jamais iria sozinha para um local tão perigoso como foi.

publicidade:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*